Início Banca Moody’s melhora perspectiva de evolução do rating de Angola para positiva

Moody’s melhora perspectiva de evolução do rating de Angola para positiva

0
12

A agência de notação financeira Moody’s melhorou quinta-feira a perspectiva de evolução do “rating” de Angola, de estável para positiva, mantendo a avaliação sobre a qualidade do crédito em B3, abaixo da recomendação de investimento.

“A decisão da Moody’s de mudar a perspectiva de evolução de estável para positiva reflecte a avaliação de que as perspectivas de um crescimento económico robusto e um crescimento significativo das receitas, sustentadas no elevado preço do petróleo, dão ao governo a oportunidade de continuar a implementar reformas que podem sedimentar a sua força fiscal, a liquidez e a posição externa, o que melhora a qualidade do crédito”, lê-se na nota citada pela Lusa.

A análise da perspectiva de evolução da economia angolana não é, no entanto, suficiente para que a Moody’s tenha melhorado o “rating”, que se mantém em B3, ou seja, abaixo da recomendação de investimento, ou ‘lixo’, como é geralmente conhecido.

“A decisão de afirmar o rating em B3 reflecte a visão da Moody’s de que, apesar da contínua melhoria nas posições orçamentais e da balança corrente, o perfil de crédito de Angola continua constrangido pela vulnerabilidade a choques petrolíferos devido à sua rígida estrutura económica e à fraca capacidade institucional”, escrevem os analistas, reconhecendo que “a continuidade das políticas e a agenda das reformas do novo governo vão naturalmente demorar tempo a reduzir as vulnerabilidades estruturais de Angola”.

A alteração da perspectiva de evolução do ‘rating’ indica que os analistas consideram que, a manter-se a trajectória actual, Angola verá a opinião da Moody’s sobre a qualidade do crédito soberano melhorada num prazo que normalmente não excede os 12 meses.

A última vez que a Moody’s tinha melhorado o “rating” de Angola foi em Setembro do ano passado, quando a avaliação da qualidade do crédito soberano passou de Caa1 para B3, o que aconteceu depois de quatro descidas consecutivas, em 2016, 2017, 2018 e 2020.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui