sábado, dezembro 3, 2022

Licitação Global de Petróleo e Gás Atinge Mínimos Históricos

Date:

A exploração global de petróleo e gás deverá diminuir este ano, à medida que o número de blocos licitados e as áreas total licenciadas caíram para níveis quase históricos, enquanto o sector energético mundial luta para se recuperar dos efeitos da pandemia da Covid-19 e do colapso do mercado petrolífero em meio ao conflito Rússia -Ucrânia.  

Apenas 21 rodadas de licitação de blocos foram concluídas globalmente até Agosto deste ano, sensivelmente metade das 42 rodadas realizadas nos primeiros 8 meses de 2021. A área total concedida até a data, reduziu para para um mínimo de 20 anos de 320.000 Km2. As licitações de blocos petrolíferos em todo mundo devem totalizar 44 este ano, cerca de 14 a menos em relação ao ano passado, representado assim o nível mais baixo desde o ano 2000. 

Os gastos globais em exploração têm estado a cair nos últimos anos, já que as empresas de petróleo e gás têm procurado limitar o risco,  concentrando-se nos seus principais activos produtores e regiões com produção garantida, objectivando a potencialização das suas operações e a construção de negócios mais resilientes em meio às incertezas do mercado e à ameaça de uma recessão económica global. O cenário geopolítico também tem contribuído para a diminuição das licenças petolíferas, com muitos governos interrompendo as licitações e incentivando as empresas a encerrar as actividades de exploração nos blocos já concedidos. Essa tendência provavelmente continuará, pois os grandes estados estão menos entusiasmados para investir na produção de combustíveis fósseis, tendo em conta os esforços em direção à transição energética e as respectivas metas de net zero. 

A exploração onshore é um contribuinte significativo para o declínio nas áreas concedidas. O total de  áreas concedidas onshore caiu de cerca de 560.000 Km2 em 2019 para apenas 115.000 Km2 até Agosto deste ano. Em 2019,  o licenciamento de áreas offshore atingiu o nível mais alto antes de cair vertiginosamente em 2020, sendo que permaneceu num nível relativamente invariável nos últimos 2 anos. 

As rodadas de licitação concluídas caíram significativamente na Rússia, nos EUA e na Austrália. Esses países realizaram 5 rodadas até o 3º trimestre, especificamente 3 na Rússia, 1 nos EUA e 1 na Austrália, abaixo das 17 rodadas realizadas nos primeiros 8 meses do ano 2021, dos quais 8 na Rússia, 5 nos EUA e 4 na Austrália. A queda nos EUA foi impulsionada principalmente pelo cancelamento das Vendas de Locação 259 e 261 no Golfo do México e Cook Inlet no Alasca. O licenciamento no continente asiático contrariou a tendência com o aumento da actividade na Malásia, Indonésia, Índia e Paquistão. O declínio global nas rodadas de licitação afectou diretamente a extensão das áreas concedidas, que atingiu uma baixa histórica para o período de janeiro a agosto, de cerca de 320.000 Km2. 

A redução da actividade de licitações petrolíferas resultou numa queda considerável de até 70% nas concessões das áreas licenciadas em África para apenas 46.000 Km2 espalhados por Angola, Egipto, Marrocos e Zimbábue, os únicos países africanos a conceder novas áreas de exploração até Agosto deste ano. Por outro lado, as novas áreas concedidas na Ásia entre janeiro e agosto quase quadruplicaram em relação ao período homólogo, enquanto as áreas concedidas na América do Sul aumentaram 140%, diz a Petroangola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Popular

Publicações Relacionado
Relacionado

Angola Lança Relatório Especial do Sector Petrolífero na Angola Oil and Gas (AOG) 2022

O Ministério dos Recursos Minerais, Petróleos e Gás de Angola (MIREMPET) lançou o seu Relatório Especial sobre o Sector Petrolífero durante a cerimónia de abertura da Conferência e Exposição Angola Oil&Gas (AOG) 2022 (http://bit.ly/3UyBCpP) na terça-feira.

Isabel dos Santos vai concorrer à Presidência de Angola se a oportunidade surgir – “Procuraram manchar a minha reputação para venderem a UNITEL aos...

A empresária Isabel dos Santos disse que quer ser candidata à Presidência da República, "se a oportunidade surgir", porque Angola "precisa de um novo futuro político" e diz acreditar que "há muitas pessoas" que vão estar com ela nessa batalha.

Economia timorense está lentamente a recuperar

A economia de Timor-Leste está lentamente a recuperar, depois de uma recuperação de 2,9% em 2021, a economia está no caminho certo para crescer ainda mais 3,0% em 2022", refere o relatório, com o tema "Honrar o passado, garantir o futuro".

Sonangol dá início a construção do segundo Navio petroleiro

O arranque da construção do segundo navio foi formalizado no dia 28 deste mês, na cidade de Mokpo, Coreia do Sul, com a tradicional cerimónia de corte de aço referente ao casco 8021, segundo navio do projecto da tipologia Suezmax.