quarta-feira, dezembro 7, 2022

Angola em plenária do Processo Kimberley

Date:

Uma delegação angolana participa na 18ª Reunião Plenária do Processo Kimberley, a decorrer de amanhã a sexta-feira, em Gaberone, República do Botswana, em formato presencial e virtual.

Representantes de 85 países do Sistema Internacional de Certificação do Processo Kimberley (SCPK) participam no encontro em que a delegação angolana liderada pelo coordenador executivo da Comissão Nacional do Processo Kimberley (CNPK), Paulo Mvika, noticiou a Angop.

Uma nota de imprensa citada pela agência indica que a sessão de abertura do encontro é orientada pelo Presidente do Botswana, Mokgweetsi Eric Keabetswe Masisi.

A reunião servirá para a discussão e avaliação dos relatórios anuais apresentados pelos responsáveis dos grupos e comités de trabalhos, com destaque para a análise das estatísticas de produção e exportação de diamantes dos países participantes no Processo.

Constam na agenda de trabalhos, a programação das visitas e missões de avaliação do Processo Kimberley, aprovação do Termo de Referência sobre a criação do Comité Ad-hoc do Novo Ciclo de Revisão e Reforma do Processo Kimberley, bem como a selecção de um novo presidente e um vice-presidente.

Actualmente, o Botswana assume a presidência da organização, tendo como vice-presidente o Zimbabwe. Nesta plenária o Botswana passa o testemunho ao Zimbabwe, que assume a presidência do mandato de 2023.

Enquanto isso, para a vice -presidência do mandato 2023 candidataram-se os Emirados Árabes Unidos (EAU) a Bielorrússia.

A organização projecta implantar o Secretariado Permanente na China e Botswana, de acordo com informações da nota citada pela agência.

O Sistema de Certificação do Processo Kimberley é uma coligação tripartida que envolve governos, indústria e sociedade civil, dedicada à erradicação de diamantes de conflitos do comércio mundial.

Criado em 2003, o órgão tem como objectivo evitar o financiamento de armas em países africanos em guerra civil. Em 2000, novos países aceitaram o Processo Kimberley, comprometendo-se a adquirir apenas diamantes brutos certificados (com procedência confirmada por certificado oficial) e a recusar importações vindas de áreas de conflito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Popular

Publicações Relacionado
Relacionado

Angola Lança Relatório Especial do Sector Petrolífero na Angola Oil and Gas (AOG) 2022

O Ministério dos Recursos Minerais, Petróleos e Gás de Angola (MIREMPET) lançou o seu Relatório Especial sobre o Sector Petrolífero durante a cerimónia de abertura da Conferência e Exposição Angola Oil&Gas (AOG) 2022 (http://bit.ly/3UyBCpP) na terça-feira.

Isabel dos Santos vai concorrer à Presidência de Angola se a oportunidade surgir – “Procuraram manchar a minha reputação para venderem a UNITEL aos...

A empresária Isabel dos Santos disse que quer ser candidata à Presidência da República, "se a oportunidade surgir", porque Angola "precisa de um novo futuro político" e diz acreditar que "há muitas pessoas" que vão estar com ela nessa batalha.

Economia timorense está lentamente a recuperar

A economia de Timor-Leste está lentamente a recuperar, depois de uma recuperação de 2,9% em 2021, a economia está no caminho certo para crescer ainda mais 3,0% em 2022", refere o relatório, com o tema "Honrar o passado, garantir o futuro".

Sonangol dá início a construção do segundo Navio petroleiro

O arranque da construção do segundo navio foi formalizado no dia 28 deste mês, na cidade de Mokpo, Coreia do Sul, com a tradicional cerimónia de corte de aço referente ao casco 8021, segundo navio do projecto da tipologia Suezmax.