Terça-feira, Abril 16, 2024

Angola condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

Date:

O Presidente da República, João Lourenço, condenou, este domingo, “veementemente” o golpe de Estado no Burkina Faso, apelando “ao bom senso dos golpistas em prol do bem-estar” daquele país da região do Sahel, e de todo o continente africano.

Num comunicado hoje divulgado, João Lourenço revela que Angola soube “com muita preocupação” do golpe de Estado de sexta-feira, levado a cabo por um grupo de soldados liderados pelo capitão do Exército burquinense Ibrahim Traoré, que derrubou o líder da junta militar que governava o país, o tenente-coronel Paul-Henri Sandaogo Damiba.

“Na qualidade de Campeão da União Africana para a Paz e Reconciliação em África condenamos veementemente este ato e exortamos os golpistas burkinabés a facilitarem o trabalho das atuais autoridades da Transição, voltado para o cumprimento do cronograma de transição que prevê o regresso à ordem constitucional, até 01 de julho de 2024”, lê-se no comunicado, assinado por João Lourenço.

Angola apela “ao bom senso dos atores golpistas em prol do bem-estar do Burkina Faso, da região do Sahel e da África no geral”, reiterando “solidariedade do povo angolano para com o povo irmão do Burkina Faso neste período de profunda instabilidade política”.

João Lourenço garante que Angola “continua a acompanhar de perto a situação no Burkina Faso e predispõe-se a providenciar o auxílio necessário para contribuir na erradicação dos ciclos de instabilidade política em África”, que “retardam sobremaneira o desenvolvimento sustentável” daquele continente.

Em mensagem dirigida à nação na noite de sexta-feira, os perpetradores do golpe acusaram Damiba de se desviar do ideal do Movimento Patriótico de Salvaguarda e Restauração (MPSR), nome da junta que tomou o poder no golpe de 24 de janeiro, e de não acabar com a insegurança causada pelo terrorismo ‘jihadista’.

Após um dia de confusão marcado por uma insurreição militar e tiros disparados em zonas estratégicas da capital, Ouagadougou, os autores do golpe anunciaram a suspensão da Constituição e da Carta de Transição.

Da mesma forma, os militares liderados por Traoré, o novo homem forte do país, decretaram a dissolução do governo e da Assembleia Legislativa de Transição e instituíram um recolher obrigatório entre as 21:00 e as 05:00.

Os autores do golpe também ordenaram o encerramento das fronteiras nacionais e a suspensão de todas as atividades políticas e da sociedade civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Popular

Publicações Relacionado
Relacionado

China e Noruega pretendem reforçar a cooperação parlamentar com Angola

A presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, recebeu, quarta-feira, em Luanda, em audiências separadas, os embaixadores da China, Zhang Bin, e da Noruega, Bjornar Dahl Hotvedt, com os quais abordou o plano de cooperação entre os parlamentos.

Proposta de Lei da Actividade Mineira Ilegal é aprovada amanhã

A Proposta de Lei sobre a Actividade Mineira Ilegal volta, amanhã, a ser debatida na Assembleia Nacional para a sua aprovação na especialidade, para que medidas sejam tomadas contra todos os tipos de crimes aos recursos mineirais existentes em Angola.

Mining eventos partilha os progressos das etapas da cadeia de valores na 3º edição do Valentine`s Diamond Show

A Bumbar Mining orgulhosamente apresenta a terceira edição do Valentine’s Diamond Show, no dia 23 de Fevereiro de 2024, pelas 18h a 22h30, no Hotel Diamante em Luanda, um evento que visa promover e destacar os avanços da indústria diamantífera angolana.

Ataque do grupo Codeco mata 46 pessoas na RDC

Um total de 46 pessoas morreu num ataque de um grupo rebelde, o Codeco, contra um campo de deslocados no Nordeste da República Democrática do Congo (RDC) em Junho passado, confirmou ontem a Human Rights Watch (HRW).