Sábado, Maio 25, 2024

Angola Lança Relatório Especial do Sector Petrolífero na Angola Oil and Gas (AOG) 2022

Date:

O Ministério dos Recursos Minerais, Petróleos e Gás de Angola (MIREMPET) lançou o seu Relatório Especial sobre o Sector Petrolífero durante a cerimónia de abertura da Conferência e Exposição Angola Oil&Gas (AOG) 2022 (http://bit.ly/3UyBCpP) na terça-feira.

Servindo como uma iniciativa do MIREMPET com base no Decreto Presidencial que institui a Comissão Interministerial para o Reajustamento do Sector Petrolífero (CIAROSP), a publicação oferece uma análise aprofundada dos impactos das prolíficas reformas do sector energético de Angola até à data, bem como como metas futuras de crescimento até 2030.

Desde junho passado, Angola tornou-se o maior produtor de petróleo bruto da África, em parte devido a reformas políticas abrangentes iniciadas em 2018, começando com o Programa de Regeneração da empresa nacional de petróleo Sonangol e o estabelecimento da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG ) como concessionária independente. A publicação de 90 páginas em dois idiomas destaca a importância de um quadro regulamentar competitivo e um ambiente operacional estável para estabelecer Angola como um dos principais destinos de investimento.

“Este relatório reflecte não só o trabalho do sector, como também regista um testemunho vivo de cada um dos intervenientes e percorre o trabalho desde a criação da ANPG, a operacionalização do Instituto Regulador dos Derivados de Petróleo (IRDP), a reestruturação do Sonangol, e o trabalho e apoio das companhias petrolíferas de Angola. Gostaríamos de destacar o seu apoio e trabalho”, afirmou Kátia Epalanga, Diretora Executiva do Gabinete do MIREMPET.

O relatório especial é a primeira publicação deste tipo, reunindo percepções dos sectores público e privado sobre as realizações passadas e perspectivas futuras do sector energético de Angola, incluindo o seu papel na transição energética, perspectivas de crescimento do petróleo e gás e desenvolvimentos mais recentes no conteúdo local. A publicação apresenta dados exclusivos sobre as actividades de exploração e produção, gás e renováveis, refinação e petroquímica, distribuição e comercialização de Angola, juntamente com entrevistas do MIREMPET, Sonangol, ANPG, IRDP, TotalEnergies, Azule Energy, Equinor, ExxonMobil, Chevron, Angola LNG e Somoil.

A publicação estará disponível para distribuição limitada na AOG 2022 Conference&Exhibition e é impressa em inglês e português. O Relatório Especial do Sector Petrolífero foi produzido pela Energy Capital&Power, em parceria com o MIREMPET.

Distribuído pelo Grupo APO em nome da Energy Capital&Power.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Popular

Publicações Relacionado
Relacionado

China e Noruega pretendem reforçar a cooperação parlamentar com Angola

A presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, recebeu, quarta-feira, em Luanda, em audiências separadas, os embaixadores da China, Zhang Bin, e da Noruega, Bjornar Dahl Hotvedt, com os quais abordou o plano de cooperação entre os parlamentos.

Proposta de Lei da Actividade Mineira Ilegal é aprovada amanhã

A Proposta de Lei sobre a Actividade Mineira Ilegal volta, amanhã, a ser debatida na Assembleia Nacional para a sua aprovação na especialidade, para que medidas sejam tomadas contra todos os tipos de crimes aos recursos mineirais existentes em Angola.

Mining eventos partilha os progressos das etapas da cadeia de valores na 3º edição do Valentine`s Diamond Show

A Bumbar Mining orgulhosamente apresenta a terceira edição do Valentine’s Diamond Show, no dia 23 de Fevereiro de 2024, pelas 18h a 22h30, no Hotel Diamante em Luanda, um evento que visa promover e destacar os avanços da indústria diamantífera angolana.

Ataque do grupo Codeco mata 46 pessoas na RDC

Um total de 46 pessoas morreu num ataque de um grupo rebelde, o Codeco, contra um campo de deslocados no Nordeste da República Democrática do Congo (RDC) em Junho passado, confirmou ontem a Human Rights Watch (HRW).