TAAG e Boeing chegam a acordo sobre fornecimento de aeronaves

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

A TAAG e a construtora norte-americana Boeing, principal fornecedor de aeronaves para a companhia de bandeira nacional, chegaram a acordo sobre a resolução de “pendências financeiras” criando as condições para cooperação ao nível de fornecimento de aeronaves para o futuro.

Segundo um comunicado de imprensa da TAAG, após uma longa e complexa negociação levada a cabo desde a tomada de posse da nova administração da TAAG junto da Boeing, “comunicamos ao mercado que as duas entidades chegaram a acordo quanto ao valor e à forma de pagamento das pendências financeiras, geradas entre outros, durante a fase de pandemia que afectou a actividade das companhias aéreas a nível global e agravou a dívida à fornecedores”.

Este acordo actualiza algumas premissas do Memorando de Entendimento (MOU) celebrado entre as partes, indo ao encontro dos interesses da TAAG em obter um ajustamento de pricing de serviços mais favorável e alinhado ao contexto actual do mercado da aviação comercial a nível internacional.

Este entendimento “reforça a credibilidade internacional da TAAG e é um sinal claro de que a TAAG está activa no mercado, aberta ao diálogo com todos os stakeholders”.

 “A TAAG sinaliza o espírito de abertura e postura colaborativa da Boeing em todo este processo e agradecemos o suporte dado para a implementação da nossa estratégia de recuperação das aeronaves e planeamento no reforço da frota” afirma Eduardo Fairen, presidente da Comissão Executiva da TAAG, citado pela nota.


Companhia de bandeira repõe voo Luanda/Cabinda

A TAAG  informa que o voo DT126 Luanda-Cabinda, do dia 10 de Setembro, que transportava 122 passageiros, numa aeronave tipo Boeing 737-700, foi efectuado ontem. Numa nota de esclarecimento, a transportadora de bandeira nacional informa que contrariamente ao que tem sido veiculado nas redes sociais e plataformas digitais, a aeronave fez uma aterragem normal.

“Tratou-se de uma situação comum e de rápida resolução, sendo que a aeronave foi colocada prontamente operacional, tendo a mesma aeronave seguido viagem para Cabinda hoje dia 11 de Setembro, realizando o habitual voo de reposição aos passageiros impactados”, aponta a fonte. A companhia explica que minutos “após a decolagem foi sinalizada pela equipa de tripulação uma questão técnica, e como é habitual, e no seguimento das medidas de segurança aplicadas na companhia, a aeronave fez o retorno a Luanda (base de manutenção) para recuperação da situação em causa”.

Deixe uma resposta